"Executivos&Executivas"

Informação, dicas e tendências ligado ao mundo dos Executivos, Universitários e Empresas.

sábado, 18 de junho de 2016

O passado é lição!



Hoje estou meio que com o "pé no passado". Sei que você, leitor, vai dizer: querida, o passado já foi, viva o presente, e planeje o futuro.
Pois bem, pensando nisso, sinto informar, mas tenho que discordar. O passado é responsável por tantas histórias especiais, aprendizados, e experiências valiosas. Claro que não devemos , de forma alguma, viver no passado, mas as sábias lições que aprendemos, jamais devem ser esquecidas. Elas são valiosas, marcantes, e um degrau para a nossa evolução.Fique sempre com um pé lá e cá. Não se acomode no passado, mas traga e aproveite tudo aquilo de bom que você aprendeu para o seu presente. Use e abuse! Seu futuro vai agradecer.
A maior riqueza, e que ninguém nunca vai nos tirar, é a experiência.Podemos perder dinheiro, bens, amores, mas a nossa bagagem, ninguém nos tira.Pense nisso!
Você é rico, e não sabia.

sábado, 4 de junho de 2016

Diga não a crise!



Se houvesse um marcador para contabilizar nesses ultimos tempos quantas vezes as pessoas pronunciaram a palavra "crise", com certeza iríamos nos surpreender. Aonde quer que a gente vá, seja na padaria para tomar um café, ao mercado fazer uma compra, no banco de uma praça para relaxar, ou até mesmo em rodas de amigo, o assunto é sempre o mesmo: a crise.
E também não é para menos: vemos diariamente pessoas próximas sendo demitidas, e pior, sem nenhuma chance de recolocação rápida no mercado de trabalho. Empresas fechando suas portas, e o país, mesmo com o advento do impeachment, continua parado. O futuro é incerto, as pessoas estão inseguras, e a estagnação se instaurou de uma forma cruel, e o mais agravante, o prazo para que esse quadro se reverta não está tão próximo.
E agora, José?
Bem, não sou nenhuma expert em economia , mas entendo que esse é o momento propício a união. União de  forças, idéias, parcerias. precisamos nos unir a pessoas para vislumbrarmos novos projetos, novas formas de trabalho. Comece travando parcerias dentro da sua casa, se unindo a parentes e amigos . Façam um brainstorming, descubram seus talentos ocultos, coloquem sinergia nisso, e talvez daí nasça um novo negócio que possa vir a gerar uma renda emergencial e significativa nesse momento de crise. Mas não pare por aí: envolva também em seu projeto pessoas do seu bairro, da sua comunidade, porque é da diversidade de visão, idéias e de aptidões que podem nascer negócios interessantes e criativos.
Comunique-se, ande pelo seu bairro, sinta as necessidades de serviços e produtos locais, ou então reinvente um serviço ou produto local que já esteja ultrapassado, pode ser um novo nicho.
Não dá para cruzar os braços, e ficar vendo a crise se agigantar. Temos que nos movermos, e nos juntar as pessoas, esse é um momento de união. Não vamos criar muitas expectativas com o governo que aí está, vamos sim confiar no nosso potencial, e nas pessoas que nos cercam.

terça-feira, 31 de maio de 2016

Previsão do tempo: ele passa!



Depois de tanto tempo sem fazer postagens , hoje , instintivamente, algo me trouxe de novo a este meu blog, e tantas coisas me ocorreram em segundos. Me bateu uma sensação de abandono, de fuga, ,sei lá...não gostei do que senti. Olhei a maioria das postagens que fiz com tanto empenho e carinho, tantas horas de dedicação para com os meus leitores, e me senti "descontinuada". Me pus a pensar e questionar: o que aconteceu comigo? Por que abandonei este projeto que foi tão desejado, trabalhado, e feito com tanto amor? O quê teria me levado a parar no meio do caminho, assim, de uma forma tão abrupta?
Material de boa qualidade, muita informação, experiências reais vividas em minha caminhada como executiva, que sempre tentei passar ao meu leitor da forma mais clara e objetiva que pude, sempre tentando ajudar de alguma forma aqueles que são apaixonados pela vida corporativa, assim como eu.
Bem, o fato é que toda essa reflexão me levou a fazer essa nova postagem, e de alguma forma senti como se algo tivesse sendo desbloqueado no meu ser.
Como dizia minha querida mãe, "tudo a sua hora, tudo ao seu tempo".
E assim também acontece na vida corporativa: às vezes estamos engajados em nossa carreira ou em um novo projeto, mas de repente nos vemos bloqueados, amarrados, e algo nos faz abandonar tudo. E assim, do nada, acabamos por largar um cargo mega legal, em uma empresa fantástica, e quando vemos, o estrago já foi feito.Erro? Não! Covardia? Não! Despreparo?Não!
Somente temos que respeitar o nosso tempo, o nosso momento, e também, e mais importante, arcar com todas as consequências que são invitáveis, da forma mais madura possível.
Tudo passa, tudo muda, tudo transcende, tudo transmuta.
Desculpe pela ausência, e obrigada por estar aqui de novo comigo.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

"Demita-se da empresa, mas não das pessoas"


Quando saímos de um emprego levamos junto com a nossa rescisão de trabalho muita bagagem profissional, autoconhecimento, e o que é mais importante, a oportunidade de ter conhecido pessoas, compartilhado sentimentos e amizades que indiscutivelmente  não tem preço.

Trabalhei por quase 15 anos em uma empresa, e há 5 anos me desliguei da mesma para me mudar de São Paulo para Florianópolis. Foi uma mudança brusca, e o que posso adiantar é que cortar os laços com essa empresa e as pessoas com quem trabalhei não foi nada fácil.
Oportunamente hoje eu estava em uma rede social , e uma amiga e ex-funcionária minha me chamou para conversar, e eu ganhei o dia. Apesar do estresse diário que tínhamos naquela época, das cobranças, das discussões de trabalho que são habituais em qualquer empresa, percebemos claramente o quão importante são as relações humanas, acima de tudo. Relacionar-se é , sem dúvida, a maior oportunidade de crescimento pessoal, além de nos proporcionar um precioso presente chamado amizade. Não importa se esta amizade está alí, meio adormecida, mas o que vale é saber que você a tem, independente da distância e do tempo. E sabe por que resolví falar sobre isso hoje? Porque deixamos as horas, dias, mêses e anos passarem ao lados dessas pessoas de uma forma tão corrida e desatenciosa , e quando nos damos conta, isso tudo vira passado. Portanto, vamos nos focar um pouco mais nas pessoas,  e fazer com que cada minuto ao lado delas valha à pena. Vamos nos doar mais, colocar mais emoção e sentimento nas relações, enxergar, ao invés de simplesmente olhar, e aproveitar  cada momento de troca que nos é oferecido.É claro que você não vai fazer da sua empresa um clube de amigos, mas com certeza você pode e deve humanizar as relações dentro dela, e assim até melhorar os resultados como um todo.
Pense nisso !

sexta-feira, 20 de julho de 2012

"ExecutivosxCurrículo : você está fazendo isso errado"

Estudo mostra pérolas dos currículos

Um levantamento da consultoria Americana CareerBuilder indicou "pérolas" presentes em currículos enviados pelos candidatos a vagas. A empresa ouviu 2.298 recrutadores e pediu que eles listassem erros ou informações pouco usuais presentes nos currículos. Veja abaixo alguns exemplos:

Kevork Djansezian - 6.jul.12/France Presse
Recrutadores lembram de currículos engraçados que já receberam
Recrutadores lembram de currículos engraçados que já receberam

1. Um candidato disse que era um gênio e convidou a recrutadora para entrevistá-lo no apartamento dele.
2. Na carta de apresentação, o candidato dizia que sua família pertencia a uma gangue.
3. Candidato listou "caçar crocodilos" como uma de suas habilidades.
4. Um candidato incluiu a atividade de phishing (furto de dados pessoais pela internet) na lista de hobbies.
5. Uma pessoa destacou que seu currículo deveria ser lido como uma certa canção.
6. Um candidato destacou que ele foi o príncipe do baile de formatura em 1984.
7. A pessoa disse que sabia falar "antártico" ao se candidatar para trabalhar na Antártida.
8. A foto do currículo mostrava o candidato em uma rede.
9. Um dos currículos era decorado com coelhos cor-de-rosa.
10. Interessado em uma vaga no departamento de contabilidade disse que era detalhista e escreveu o nome da empresa errado.

Fonte: Folha de São Paulo